FORMAÇÃO DE INTEGRANTES , INCLUSÃO , ESPECEALIZAÇÕES , EQUIPES E SETORES

Formação de Nossos Integrantes

 

Histórico do TIBG (Turno de Instrução Básica do Granito)

 

O TIBG foi criado em 1991. As atividades de instrução do TIBG tiveram início com a passagem de integrantes pelas Forças Armadas, em especial, a Brigada de Infantaria Pára-Quedista. Estes conhecimentos foram adaptados a atividades de aventura ecológica e ao excursionismo.

Para participar como integrante do Grupo Granito de Montanhismo são selecionados, mesmo sendo voluntárias, pessoas de qualquer idade, classe social ou integrante de outros grupos co-irmãos. A seleção consta de verificação física de caráter não eliminatório, com exceção da parte médica, sendo os aprovados incorporados como estagiários. Aqueles que conseguem concluir o TIBG recebem a “Camisa Preta” como prêmio ao esforço, a força de vontade, a coragem, a inteligência, a rusticidade e a força moral com que enfrentaram diversos obstáculos. Todas as pessoas possuidoras desta experiência são consideradas por nós integrantes, pessoas capacitadas para vários tipos de situações.

 

Objetivos do TIBG:

 

Formar novos integrantes capacitados a acompanhar as atividades básicas do Grupo Granito de  Montanhismo (caminhadas pesadas/escalaminhadas).

 

Duração: 35 (trinta e cinco) dias.

Disciplinas: Treinamento físico;

Utilização de equipamentos básicos;

História do GGM;

Primeiros socorros (fase 1);

Natação (fase 1);

Nós e amarrações (fase 1)

Deslocamentos e transposição de obstáculos;

Orientação (fase 1);

Comunicação (fase 1);

Noções de sobrevivência (fase 1).

Atributos da Área Afetiva:

A serem observados sem caráter eliminatório, com objetivo de desenvolvimento futuro.

 

ATRIBUTOS

DEFINIÇÕES

Autoconfiança

Demonstrar segurança e convicção em suas atitudes, nas diferentes circunstâncias.

Coragem

Agir de forma firme diante de situações difíceis e perigosas, seguindo as normas de segurança.

Decisão

 Optar pela alternativa mais adequada, em tempo útil e com convicção

Dinamismo

Atuar ativamente com intenção determinada.

Equilíbrio Emocional

Controlar as próprias reações para agir, apropriadamente, nas situações incomodas.

Iniciativa

Agir de forma adequada e oportuna, sem depender de ordem ou decisão superior.

Liderança

Dirigir e orientar atitudes dos membros do grupo, visando atingir os propósitos e os cumprimentos de tarefas.

Resistência

Suportar, pelo maior tempo possível, a fadiga resultante de esforços físicos e psicológicos, mantendo a eficiência.

Rusticidade

Adaptar-se a situações de restrição e/ou privação, mantendo a eficiência.

 

Formação de Integrantes Autos suficientes

 

Formar integrantes capacitados a colaborar no funcionamento da organização operacional das atividades, instruir e auxiliar estagiários e integrantes menos experientes e dominar as situações de emergências que possam ocorrer.

 

Pré-Requisito: Ser voluntário e integrante atuante a 6 meses;

Particular e estar, no mínimo, no comportamento “BOM”;

Possuir ou está cursando matérias  extra-escolares;

Ser profissional ou ter experiências de áreas consideradas de aproveitamento comum as nossas atividades.

Duração do Curso: Prazos indefinidos.

Disciplinas:          Treinamento Físico (fase 2);

Escalada;

Topografia e Orientação;

Comunicações (fase 2);

Higiene, Profilaxia e 1º Socorros;

Equipamentos diversos;

Instruções Especiais, de acordo com as equipe auto-suficiente AP-FT-PS;

Ambientes diversos (mangue, montanha, floresta e outros);

Organização e liderança de equipe.

Complementação do Ensino:

Exemplos disciplinares;

Inspeção de Material e Pessoal;

Preparação para o Teste de Reação de Líder.

 

ATRIBUTOS

DEFINIÇÕES

Autoconfiança

 Demonstrar segurança e convicção em suas atitudes, nas diferentes circunstâncias.

Combatividade

Lutar, sem esmorecer, pelas idéias e causas em que acredita ou por aquelas sob sua responsabilidade.

Coragem

Agir de forma firme e destemida, diante de situações difíceis e perigosas, seguindo as normas de segurança.

Decisão

Optar pela alternativa mais adequada, em tempo útil e com convicção

Dinamismo

Atuar ativamente com intenção determinada.

Equilíbrio Emocional

Controlar as próprias reações para agir, apropriadamente, nas diferentes situações.

Iniciativa

Agir, de forma adequada e oportuna, sem depender de ordem ou decisão superior.

Liderança

Dirigir, orientar e propiciar modificações nas atitudes dos membros de um grupo, visando atingir os propósitos da instituição.

Resistência

Suportar, pelo maior tempo possível, a fadiga resultante de esforços físicos e/ou mentais, mantendo a eficiência.

Rusticidade

Adaptar-se a situações de restrição e/ou privação, mantendo a eficiência.

 

Formação de Líderes (líderes de equipe, GEs e auto-suficientes em destaque)

 

Atributo da Área Afetiva a serem desenvolvidas:

 

ATRIBUTOS

DEFINIÇÕES

Adaptabilidade

Renunciar aos interesses pessoais em favor da instituição, grupos e/ou pessoas.

Decisão

Optar pela alternativa mais adequada, em tempo útil e com convicção.

Dinamismo

Atuar ativamente com intenção determinada.

Meticulosidade

Controlar as próprias reações para continuar a agir, apropriadamente, nas diferentes situações.

Iniciativa

Agir, de forma adequada e oportuna, sem depender de ordem ou decisão superior.

Meticulosidade

Desenvolver atividades de forma sistemática e eficiente.

Previsão

Antecipar-se a fatos e situações, antevendo alternativas viáveis, de modo a evitar e / ou eliminar possíveis falhas na execução de uma tarefa.

Persuasão

Convencer pessoas a adotarem idéias ou atitudes que sugere.

Liderança

Dirigir, orientar e propiciar modificações nas atitudes dos membros de um grupo, visando atingir os propósitos da instituição.

Discrição

Manter reserva sobre fatos de seu conhecimento que não devam ser divulgados.

Criatividade

Produzir novos dados, idéias e / ou realizar combinações originais, na busca de uma solução eficiente e eficaz.

 

Equipes Auto-Suficientes:

 

Força Tarefa (FT) – Apoio (AP) – Primeiros Socorros (PS) – Grupo de Elite (GE)

 

FT – Força Tarefa DESTACAMENTO CHARLIE

 

Reconhecimento e primeiro contato com futuras áreas de atividade, mapeamento, fotografia, auxilio aos guias promovendo velocidade e agilidade em atividades a uma equipe podendo substituir o guias, função de esclarecedor em locais de trilhas indefinidas ou sem trilhas, esclarecedor em travessias de obstáculos naturais, balizamento e montagem de áreas de saídas emergenciais e suporte a resgates e evacuações, meteorologia, segurança social da zona de estacionamento, primeiros socorros.

Reconhecimento é uma operação conduzida por uma equipe, como FT,s ou Ge,s, cujo propósito é obter informações referentes às atividades e  coletar informações de caráter geográfico, meteorológico e logístico, referentes à área provável de atividade. Este tipo de reconhecimento complementa o emprego de outros sistemas de inteligência e sempre tem como objetivo informações de valor estratégico preventivo.

Segundo o conceito empregado nas forças armadas, recon é a designação dada às ações de reconhecimento e prevenções conduzidas por equipes especiais para obter ou verificar, através de observação ou de outros métodos de coleta, informações a respeito de capacidades, intenções e de uma potencial atividade com variedades dificuldades, ou para obter também dados seguros sobre as características físicas e meteorológicas de uma determinada área. O reconhecimento especial inclui a definição de objetivos, a avaliação de área, e o controle de resultados. Este conceito é similar ao adotado pelas Forças armadas.

Um reconhecimento especial pode ser conduzido independentemente ou em apoio às atividades convencionais ou não. Normalmente é uma ação que requer elevada responsabilidade e é executada por grupos de pequeno efetivo, que empregam técnicas de atividade de prevenções e segurança para futuras atividades.

Quadro de Integrantes: Romão – Cacique – Casais – Priscila – Beatriz – Zarot – Beth Zarot – Claubert – Tchequinho – Hellem – Douglas (GRA) – Douglas (PQD) – Rodrigo Borges – Carlos Alexandre – Freitas – Julio – Felipe (Black Power) – Guilherme – Serpa – Bannagia – Damazio – Ralado – Fernando Sodré – Batista – Rafael sena – Leandro Bocão – Maglane – Sidnei – Felipe (Cunha) – Orelha – Kleber – Charles – Mike (Belo) – Senna – Ruan Careca – Andinho – Paiaka – Thiago Viana – Anderson Bob – Diego Daniel – Jorge – Denis – Diego Maia (Paulão) – Pablo – Rodrigo Bethania – Marcelo Marins (Negão),João Paulo , Denis Soares , João Lucas , Wallace Monteiro , Adriana Merg , Andrei Guen , Yuri , Diego Rodrigues , Lukas Rap , Mirela , Taina Castilho , Andersom Bob , Guilherme Cruz , Felipe Black ,Pablo , Arthur , Jorge Valerio , Diego Chimbinha , Luan

 

 

 

 

AP – Apoio DESTACAMENTO BRAVO

 

Apoio logístico principalmente aos excursionistas e montanhistas menos experientes, manutenções paliativas nas atividades, comunicação e telecomunicação, pavimentação dos obstáculos, apoio técnico, reserva emergencial de suprimentos, identificação e conservação de fontes de suprimentos, auxiliares de guias podendo substituí-los, primeiros socorros, identificação e viabilização de estacionamentos.

A logística, geralmente conhecida como serviço de apoio as atividades, está normalmente dirigida às condições desconhecidas, como as previsões incertas (que contam com apoio da FT). Estas podem reduzir a incerteza sobre os fornecimentos e serviços que serão necessários para uma atividade assim como desenvolvimento da mesma, onde e quando serão necessários ou mesmo a melhor maneira de fornecê-los e apoiar integrantes individuais e toda equipe. A logística compreende o tempo e espaço em atividade: equipando, fornecendo, movimentando e mantendo a equipe e suas condições em atividade.

O trabalho dos integrantes do apoio na logística de uma grande atividade também é calcular o custo da atividade para os locais.

O conceito de equipamentos/serviço certo, no local certo, no tempo certo, inicialmente desenvolvido em termos operacionais que copiamos das forças armadas, facilmente transita para o mundo empresarial, tendo sido adaptado, na sua gênese, com a perspectiva de movimentar e coordenar o ciclo de produtos finais (distribuição física) para, com o passar do tempo, assumindo novas exigências, devidas a várias causas, entre elas, o aumento das pressões dos custos.

A logística caminha hoje em dia de mãos dadas com o pensamento estratégico. Os dois raciocínios apresentam-se interligados e a sua presença pode ser notada nos lugares menos comuns, nas práticas menos habituais, onde a exposição ao risco é sequentemente elevada assim como o nosso tipo de montanhismo do Grupo Granito. Tornou-se, assim, estritamente necessário dominar as variáveis do tempo, custo e qualidade do serviço, de forma a gerar novas configurações do custo, qualidade e serviço entre eles. A reinvenção da estratégia e da logística passou a ser um discurso comum nos dias do mundo militar e empresarial e inevitavelmente em nosso grupo, em que os desafios são incomensuravelmente superiores aos das antigas atividades do grupo sejam as convencionais ou a diferenciadas. Destes desafios surgirão, esperam-se, novos desenvolvimentos logísticos passiveis de aplicação em nosso tipo de montanhismo.

Sistemas que não cumpram objetivos são exatamente aquilo de que a logística não necessita. Assim se percebe que chegou o momento em que a logística empresarial e à logística militar ensinam muito ao nosso Grupo de e também a todas as organizações de esporte radicais e eco aventura do que o contrário, como tem sido habitual. Pelo menos na definição de alguns princípios que possam ter por base o funcionamento em rede, a criação de valor conjunto e a formação de parcerias para um bem comum. A estratégia e a logística combinam-se para conceber as melhores formas de utilizar as tecnologias, os equipamentos/serviços, soluções e presenças (virtuais ou reais) para se puder intervir em vários lugares em simultâneo (mesmo aqueles que são de difícil acesso), no sentido de tornar nossas atividades mais seguras e proveitosas eliminando todo tipo de desgastes.

Quadro de Integrantes: Haroldo – Nica – Cláudio Luiz – Araújo – Carlos Alexandre – Ralado – Marcio Sodré – João Romão – Nattasha – Carla – Simone – Cecília – Eduardo Batista – Vitor Bocão – Fabio Lingüiça – Elaine –Gabriel Jasmim, Boneco – Cacau – Dedeco – Rodolfo (2) – Arisom – Josimar – Viviane – Edjalma – Staneckinho – Fabio Escamoso – Montalvão – Gilsom – Ricardo Peçanha – Eduardo Báia – Roni – Junior Muniz – Eraldo – Claudio Roberto – Bruno Estrela – Bruno Fujão – Manasses – Robocop – Braz – Rondinele – Fernando Shalrel – Sávio – Lerdão – Cássio – Tip – Jabá – Eric – Virtuoso – Lemos – Alexandre Perninha – Jacksom – Tropeço – Mozato – Marcelo Português – Junior Castelo – Thiago Tralli – Lívynna – Vitor (Cabeleira) – Ricardo Elias – Gabriel Jasmin – Wellington – Alex Tarzan. Bruno Estrela , João Paulo , Maria Eduarda , Felipe Batata , Saulo , Evertom Guinomo , Iuri Guem  , Livina , Cintia Ramos , Spartaco ,

 

PS – Primeiros Socorros

 

Equipe de Saúde, diretamente subordinada as equipes auto-suficientes, cuja missão é prestar atendimento de saúde à família granitense e às atividades de campo e montanha, propriamente ditas. Ao longo de sua existência, esta equipe teve a necessidade de se aprimorar para o melhor. Cumprindo a sua nobre missão, mediante aos serviços que presta ao grupo, através de atendimentos de campo, orientação e atualizações até de outros integrantes de conhecimentos básicos, inspeções de saúde e apoio direto as atividades e de instruções dos diversos tipos de cursos realizados no grupo com a finalidade de aperfeiçoar o apoio de saúde de todo tipo de atividade que o grupo esteja envolvido, bem como qualquer atividade que envolva emprego dos elementos de saúde em qualquer localização ou território, nos mais curto intervalo de tempo. Com os modernos conhecimentos adquiridos e a devida adequação as necessidades do grupo, surge uma vertente do Serviço de Saúde do grupo: A Assistência Pré-Hospitalar. Em Junho de 2011 teve sua primeira turma de instrução avançada.

Quadro de Integrantes: Rose Jasmin – Vanessa Batata – Rock – Rodrigo PDC – Fabiano Serpa – Haroldo – Diogo Sarmento – Thamiris Farias – Cristiano (Banha) – Felipe Gustavo – Fernanda Carvalho – Jorge Junior – Yuri Guem – Izabela – Juliana – Cunh – Wallace Monterio , João Romão , Tamiriz Tamara , Marcello 22

 

 

G.E – Grupo de Elite DESTACAMENTO ALFA

 

Tem a finalidade principal de por meio da execução de atividades especiais, contribuir para o preparo e a execução de atividades diversas atualizações técnicas, efetuando ações de pesquisa e ensino. Gerenciamento de eventuais problemas em atividades, salvamento, planejamento geral de ações e atividades, liderar, guiar, instruir e substituir.

O adestramento dos GE,s (ativos) prevê , atividades pesadas em várias regiões ,buscando o aperfeiçoamento de suas técnicas de ações e a capacitação para operar em diferentes ambientes e climas.

Os elementos do Grupo de Elite podem constituir ao mesmo tempo tento uma equipe Força-Tarefa Equipe de Apoio ou Ps, quando for necessária execução de determinadas funções em atividades dois integrantes ou no máximo um quarteto , quando estiverem envolvidos em uma atividade de maior vulto.

O batismo de fogo da equipe ocorreu na década de 80 durante as atividades de reconhecimento nas serras dos órgãos e na Serra da Mantiqueira, na serra dos órgãos foi à travessia Magé – Petrópolis via Sto. Aleixo pelo paredão onde 12 horas de escalaminhada soma a uma escalada de três sem equipamentos adequados onde seis integrantes concluíram a travessia e na Serra da Mantiqueira oito integrantes concluíram a travessia portaria 1 a portaria 2 do PNI somados a escalada do Pico das Agulhas Negras e Prateleiras com neve no parque com – 8 graus (nevando) sem equipamentos adequados.

Representado por uma gorro preto e o escudo no mesmo, símbolo que os destaca entre os demais integrantes auto-suficientes.

O GE, s devem estar preparados para agir quando situações extremas lhe pedir está pronto para partir não importa o lugar onde seja necessário atuar.

Sergio (MF – FT) – Dididnho (MF – FT) – Rui (MF – AP) – Dinho (MF – FT) – Minho (MF – AP) – Claudio Marcio (MF – FT)

 

Nomeados GE’s apoiadores consultores especiais: MJ PM ARISTEU (BOPE) SGT BANDEIRA (COMANDOS)

Cientista (MF – AP) – Flavio (AP) – Celso (AP) – Castelo (FT) – Galo (FT) – Amarildo (FT) – Tcheco (FT – AP) – Índio (FT) – Ulisses (AP) – Pdc (P.S – AP – FT) – Quinho (AP) – Joubert (FT) – Staneck (AP) – Anthony (AP) – Renato P (AP) – Renato Romão (FT) – Piui (AP) – Rangel (FT) – Roberto Pqd (FT) – Sandro Pqd (FT) – Luigi (FT) – Viana (AP) – Salu (AP) – Regis (AP) – André Felix (FT) – Marcelo Gonçalves (FT) – Cohem (FT) – Thiago Piu (FT) – Vanessa Batata (FT) – Rosinea Jasmim (AP-OS) Leandro Pão (FT) – Souza (AP) – Rodolfo Boto (FT – AP) – Roque (AP) – Rose (PS – AP) – Marco Bannagia (FT) – Adauto Lobo (AP) Tiago Viana (FT)Cunha (FT)